© azymuth 2021 from smns.services

Kiko Continentino

Pianista tecladista, compositor, arranjador e produtor musical, tem nove álbuns instrumentais lançados (com farta produção autoral) e faz parte do legendário AZYMUTH desde 2015, ocupando a vaga deixada por José Roberto Bertrami. O álbum FÊNIX (lançado em vinil e todos os formatos digitais pela gravadora inglesa Far Out Records) conta com seis composições de Continentino - entre parcerias com seus companheiros Alex Malheiros e Ivan Conti. Iniciou-se como músico profissional em 1985 em Belo Horizonte e em 1995 é convidado a trabalhar com o cantor Milton Nascimento, fez várias gravações como músico e também com arranjos e parcerias. Seu nome está associado com uma constelação de artistas em que realizou gravações, concertos, workshops e eventos. Trabalhou em palco e estúdio com alguns dos maiores nomes da mpb, do jazz e da pop music. Gilberto Gil, Caetano Veloso, Djavan, Bethânia, Edu Lobo, João Bosco, Chico Buarque, Maurício Einhorn, Paulo Jobim, Toninho Horta, Jane Duboc, Leila Pinheiro, Marcos Valle, Leny Andrade, Emílio Santiago, Ivan Lins, Arthur Maia, Altay Veloso, Elza Soares, Pery Ribeiro, Billy Blanco, Nivaldo Ornelas, Hélio Delmiro, Paulo Russo, Ricardo Silveira, Carlos Malta, Mauro Senise, Wayne Shorter, Ron Carter, Billy Cobham, Dave Liebman, Raul de Souza, Tim Ries (dos Rolling Stones), Ali Shaheed Mohamed, Adrian Younge, Didier Lockwood, Leo Amuedo, Eddy Palermo, Jan Dumee, Magnus Lindgren, Eumir Deodato, Os Cariocas, Fernanda Abreu, Seu Jorge, Ivete Sangalo, Lô Borges, Cláudio Zoli, Pepeu Gomes, Erasmo Carlos, Martinália, Zélia Duncan, Criolo, DJ Nuth, DJ Nedu, Gorila Urbano, Filó Machado, Negra Lee, Ed Rock, Rincon Sapiência, Carlos Dafé, Nelson Ângelo, Maúcha Adnet, Jacques Morelenbaum, Wagner Tiso, Chico Batera, Bebeto Castilho (do Tamba Trio), Simone Guimarães, Bena Lobo, Arthur Verocai, Vítor Santos, Nelson Faria, Maria Rita Mariano, Marco Lobo, Wilson das Neves, entre outros.

Antonio Carlos Jobim

Em 27 de janeiro de 2007, idealizou e dirigiu um show histórico comemorando os 80 anos de Antônio Carlos Jobim, apresentando 80 composições do Maestro numa mesma noite, com dezenas de convidados especiais. Em 31 de julho de 2019, foi a vez de produzir um show comemorativo aos seus 50 anos, tocando 50 músicas autorais com o auxílio luxuoso de uma legião dos maiores músicos brasileiros. Repertório extraído de uma obra que conta com mais de 500 composições proprias. Seu nome é citado na obra de escritores e críticos como Ruy Castro, José Domingos Raffaelli, Luiz Orlando Carneiro, Carlos Calado, Roberto Muggiatti, Chico Amaral, Willie Woopper (Japão), Mark Houlston e Brian Zorak (EUA), entre tantos. Foi convidado a prosseguir em tournées internacionais com o Quarteto Jobim Morelenbaum no lugar de Daniel Jobim, neto do Maestro Soberano, mas teve que declinar por compromissos profissionais.
Segue na estrada com Azymuth em frequentes tours mundiais, eventualmente em apresentações com Milton, além de produzir projetos especiais como o "Chansong - a música de Tom Jobim e Michel Legrand" com Lucynha Lima, Valerie Lu e Marcello Ferreira, lançar o segundo álbum do MAKIMATRIO ("Combustão Global") com Marcelo Maia e Renato Massa (participação de Paulinho Guitarra), reativar o grupo ContinenTrio com seus irmãos Alberto e Jorge Continentino e lançar na Califórnia, dos EUA pro mundo - em plena pandemia, o álbum duplo em vinil "Azymuth - JID4", produzido em associação com precursores do hip-hop do Brooklin - pela série "Jazz is dead" (com parceria nas oito faixas), entre muitos projetos em curso.